Resumo do Curso de Quenya: Lição 17

Pronomes Demonstrativos

  • Sina “este”
  • Tana “aquele”
  • Enta “aquele (lá)”, aplicado ao futuro
  • Yana “aquele (anterior)”, aplicado ao passado

Os plurais são formados trocando o final –a por –ë. A posição antes ou depois do substantivo não parece importar, pois ambos são atestados.

Declinando a “Última Palavra Declinável”

Um exemplo simples para explicar: você tem o nome Elendil Voronda “Elendil, o Fiel”. Contudo, a frase que você quer escrever é “de Elendil, o Fiel”, ou seja, você quer usar o caso genitivo (-o) junto com Elendil Voronda.

As regras normais para desinências casuais dizem que elas devem ser utilizadas no substantivo (no caso, Elendil). Mas o adjetivo “fiel” (Voronda) é utilizado como um título, que pertence ao nome. Sendo Voronda a última palavra declinável (ou seja, capaz de receber a desinência), ela o recebe e vira Vorondo. Lembre-se de que se a primeira palavra deve estar no plural, ela deve receber a desinência do plural ainda que não seja a última! Em “a última palavra declinável”, “declinar” refere-se aos casos!

Foi pedido pelo Istimo nos comentários que eu desse um exemplo do uso do plural nessas “últimas palavras declináveis”. Um exemplo pode ser encontrado no poema Markirya: axor ilcalannar “sobre ossos brilhantes”. As páginas 296–7 do curso exemplificam bem as possibilidades.

Outras situações similares podem acontecer com Manwë Súlimo, Varda Elentári, Túrin Turambar (mesmo que Túrin não seja Quenya, o seu epitáfio usa este nome), etc.

Substantivos Radicais U

Eram substantivos que terminavam em -u, mas como no Quenya as palavras não podem terminar assim, mudaram para –o. Sendo assim, o radical é escrito com –u-, o plural é feito com –i ao invés de **-r, e todas as desinências casuais precisam levar isto em consideração. Um exemplo importante é ranco (rancu-), cujo plural é ranqui (< rancwi).

Números Ordinais

Via de regra, todos os ordinais são feitos a partir do número cardinal, apenas adicionando –ëa no final. Canta “quatro” vira cantëa “quarto(a)”, por exemplo.

As únicas exceções são: minya “primeiro(a)”, tatya “segundo(a)”, nelya “terceiro(a)”. Mesmo assim, esses numerais podem ser formados da outra forma.

Um Feliz Ano Novo para todos!

2 comentários sobre “Resumo do Curso de Quenya: Lição 17

  1. Nossa, agora que eu comecei a entender o título desta lição. Sempre entendi a lição como “Declinando até a última palavra declinável”, o que apesar de não ser muito diferente, me deixava confuso.

    Agora, uma parte do texto ficou meio confuso (ou eu não entendi):
    “Lembre-se de que se a primeira palavra deve estar no plural, ela deve receber a desinência do plural ainda que não seja a última!”
    Pode dar um ou dois exemplos disto?!

    Desde já, obrigado, parabéns pelo 1º niver do blog e Feliz Ano Novo.

  2. Nossa, agora que eu comecei a entender o título desta lição. Sempre entendi a lição como “Declinando até a última palavra declinável”, o que apesar de não ser muito diferente, me deixava confuso.

    Agora, uma parte do texto ficou meio confuso (ou eu não entendi):
    “Lembre-se de que se a primeira palavra deve estar no plural, ela deve receber a desinência do plural ainda que não seja a última!”
    Pode dar um ou dois exemplos disto?!

    Desde já, obrigado, parabéns pelo 1º niver do blog e Feliz Ano Novo.

Deixe uma resposta