Resumo do Curso de Quenya: Lição 9

Infinitivo

O infinitivo é escrito da seguinte forma:

  • Verbos primários adicionam ao final da raiz: tul- “vir” ? tulë;
  • Radicais A mantém sua forma raiz: lanta- “cair” ? lanta.

O Verbo de Negação

Ele é a antítese do “ser/estar”, ou seja, significa “não ser/estar”. Outro significado que o verbo de negação engloba é “eu não (faço algo)”.

  • Aoristo: umë;
  • Pretérito: úmë;
  • Futuro: úva (questionável, mas será utilizado até o fim do curso).
  • Presente: úma (também questionável)

Lembre-se que o aoristo é passível de ser modificado por uma desinência. Umë ? pl. umir “não são/estão”, 1ª pess. do sing. umin “eu não sou/estou”.

VT49:14 tem o verbo la- “não ser/estar”, pres. lanyë, pret. lane, mas como fiquei sabendo dessa forma apenas através do site do Thorsten Renk, não posso dizer com certeza qual o contexto em que este verbo pode ser utilizado.

Particípios Ativos (Presentes)

Para os particípios ativos, a formação é a seguinte:

  • Verbos primários possivelmente são formados adicionando-se a desinência -la à forma do verbo flexionada no presente: tir- ? tírala;
  • Radicais A adicionam -la e alongam a vogal raiz: ruma- ? rúmala.

Lembrando que se existe um encontro consonantal após a vogal raiz, não se alonga a mesma: pusta- ? pustala.

Deixe uma resposta