Quando pensar como um elfo falaria, não exagere!

Lollercoaster
Lollercoaster

Eu já vi muita coisa estranha em fóruns sobre línguas élficas, mas a Elfling merece uma menção honrosa. Segundo Annaka Schultz, o reino Noldor é o melhor exemplo de um povo que aderiu de corpo e alma à causa da Sociedade Protetora dos Animais, pois eles não consideravam qualquer ser vivo como “posse”.

Seria algo maravilhoso, se Annaka tivesse ao menos uma prova textual. Infelizmente, ela não tem. Oops!

Tudo começou com uma tradução para uma coleira de um bichinho de estimação. A dona do bichinho queria escrever, em Quenya, as palavras “Eu pertenço a Ranaewen”, mas não conseguia achar em qualquer “dicionário” uma palavra para “posse”. Sua tentativa mais próxima foi **amin nauta an Ranaewen (desnecessário dizer que a tradução é do élfico da Grey Company, que não é tolkieniano).

Como nós sabemos que Tolkien deixou explícito que os elfos não “tinham filhos”, mas “estavam com filhos” — ou seja, não se referem aos filhos como posses — Annaka (usando o nome Órerámar) aparentemente estendeu a cortesia élfica, com a ajuda de algumas frases tiradas do “Book of Lost Tales”, a todos os seres vivos. As mensagens que originaram as discussões estão aqui e aqui, e a lista de mensagens que as seguem podem ser vistas após as originais.

Mas meu objetivo não é acabar com a reputação da pobre Annaka — todos nós cometemos gafes, e minha primeira mensagem na Elfling não foi diferente. O objetivo é lembrar que quando vamos fazer uma construção em neo-élfico, é importante sim imaginar como um elfo falaria, pois as línguas élficas não são apenas o português ou o inglês disfarçados. Mas para isso é importante estudarmos sem preconceitos as obras de Tolkien, relermos passagens e reavaliarmos nossas interpretações. A Annaka, por algum motivo, não só não viu o óbvio como se recusou a aceitar uma quantidade convincente de provas contrárias ao seu ponto de vista. Não façamos o mesmo erro em nossas traduções.

3 comentários sobre “Quando pensar como um elfo falaria, não exagere!

  1. Rodrigo…

    Eu sei q este nem mesmo é o topico de nomes, mas gostaria de saber sua opinião como estudioso em relação a nomes…

    Meu nome é Roger, que, como você deve saber vem de origem teutônica, que era uma das tribos germanicas e signica resumindo; “lLaceiro Famoso”.

    Mas não lembro de ter lido sobre lanceiros na Terra Média, ou nem se os elfos tinham lanças em sua cultura bélica.

    Como você acha que um elfo veria um lanceiro? Como um guerreiro apenas?

    E se eu estiver errado (O que acho muito provavel… haha!), como eu poderia escrever meu nome? Qual é a sua metodologia?

    Grato, Roger…

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.