Arquivos da categoria: Vinyar Tengwar

Vinyar Tengwar 50

Recebi há aproximadamente 2 meses o Vinyar Tengwar 50 (VT50). Essa edição trata de um documento que o editor Carl Hostetter chamou de “invólucro de Túrin”: um pedaço de papel onde Tolkien enrolava os manuscritos de Os Filhos de Húrin.

Os textos em línguas tolkienianas são todos em Sindarin, aproximadamente do início da década de 1950, e tratam da tradução para essa língua de frases que deveriam significar aproximadamente “o Grande Conto também chamado de os Filhos de Húrin, feito pelos homens, mas agora os elfos ainda o [?lembram/preservam/recitam]” nas áreas II e III; na área IV, há uma fala de Rían para Tuor, que provavelmente significa “E disse Rían a Tuor: o que fizemos? Agora todas as [?terras/mãos/corações] dos anões e dos elfos estarão [?opostas/silenciosas] para nós”.

Dessas frases, há algumas informações interessantes que eu gostaria de abordar.

Continue lendo Vinyar Tengwar 50

Vinyar Tengwar lança “Série Especial”

Segundo o editor Carl F. Hostetter, alguns leitores do jornal Vinyar Tengwar fizeram um pedido interessante: Que tal unir os artigos que tem mais de uma parte em volumes especiais?

A idéia foi excelente e os editores aceitaram. O resultado chama-se The Collected Vinyar Tengwar Special Series (Série Especial), que já conta com três volumes:

  1. Words of Joy – Unindo as edições 43 e 44, onde se encontram as traduções de Tolkien para o Quenya e o Sindarin de várias orações católicas;
  2. Addenda and Corrigenda to the Etymologies – Unindo as edições 45 e 46, onde é apresentada adições e correções às Etimologias (originalmente em HoME V – The Lost Road and Other Writings), uma espécie de dicionário etimológico das línguas élficas criado por Tolkien na década de 1930.
  3. Eldarin Hands, Fingers & Numerals – Unindo as edições 47-49, contendo as três partes da apresentação desse ensaio filológico escrito nos últimos anos de vida de Tolkien.

Essas edições especiais, como as outras, podem ser encomendadas no site http://www.lulu.com/elf com dois tipos de encadernação diferentes: brochura (capa mole, como um livro comum) e com espiral (para poder abrir sobre uma mesa).

Vinyar Tengwar 49

Enviado por Carl F. Hostetter para a lista Lambengolmor na segunda-feira (11/06):

[Nota: Não sou tradutor profissional.]

Esta edição de 60 páginas é a terceira e última parte da apresentação por Patrick Wynne de “Eldarin Hands, Fingers & Numerals [Mãos, dedos e numerais Eldarin], que se conclui com uma análise de sete versões de um texto em Quenya sobre a ambidestria élfica, e traz um apêndice com escritos tardios de Tolkien sobre o verbo na “ser/estar”, o qual aparece em várias formas nesses textos. Esta edição também traz a apresentação de cinco frases volitivas do Quenya tardio em nai, indo desde 1964 até 1969, um dos quais saiu da mesma folha da Sentença dos Ambidestros (SA). Apresentadas como apêndices a estas estão duas séries de notas sobre as flexões pronominais do Quenya e formas relacionadas — datadas de 1964 e c. 1968, respectivamente — que trazem mais claridade sobre as desinências pronominais encontradas nas inscrições, e na SA.

Esta edição está sendo impressa e deve ser enviada por volta de 18 de junho.

Você pode conseguir mais informações para compra no site da ELF.

Compêndio do jornal Vinyar Tengwar 1–10 lançado

O editor do jornal Vinyar Tengwar, Carl Hostetter, anunciou que uma coletânea das edições 1–10 do jornal estarão disponíveis em um só volume, The Collected Vinyar Tengwar. A edição é disponibilizada através do serviço Lulu.com, que imprime os livros quando são comprados.

As edições 1–10 foram escritas entre setembro de 1988 e março de 1990 e contém textos antes inéditos de Tolkien: a Carta Plotz (Ed. 6 — a carta onde Tolkien explica os casos genitivo, dativo, etc. do Quenya) e uma tabela completa dos Tengwar (Ed. 8). Contudo, a maior parte dos textos são conteúdo originado por estudiosos, alguns ativos até hoje, como Patrick Wynne, Arden Smith e Edouard Kloczko. Dois artigos são assinados por Ronald Kyrmse, autor de Explicando Tolkien.


O que nunca deixa de me deixar maravilhado são as tradições. O Vinyar Tengwar, por exemplo, existe desde que eu tinha quatro anos de idade e está firme e forte — desde julho de 1998 houve só uma edição onde não foi publicado ao menos um texto inédito de Tolkien. Dos textos que eu tive acesso, devo dizer que fico maravilhado com a qualidade do trabalho feito pela Equipe Editorial e lamento não ter um maior acesso a eles.

Se você tiver possibilidades de bancar (cartão internacional + aproximadamente R$ 25,00 por 10 edições), compre!