Arquivo da tag: Parma Eldalamberon

Parma Eldalamberon 22 anunciado

Anúncio do Parma Eldalamberon 22, na íntegra:

PARMA ELDALAMBERON 22

O Alfabeto Feanoriano, Parte 1

e

Estrutura Verbal do Quenya

Por J.R.R. Tolkien

Editado por Christopher Gilson e Arden R. Smith

http://www.eldalamberon.com/parma22.html

Nesta edição do Parma Eldalamberon, nós apresentamos várias peças sobre as línguas e escritas inventadas por Tolkien.

“O Alfabeto Feanoriano, Parte 1” é a versão mais antiga e mais longa da descrição do seu sistema de escrita, datado do final da década de 1930. Quatro modos são descritos para representar diferentes língaus inventadas — lindarin, qenya, parmaqestarin, noldorin antigo e beleriândrico — dos quais há uma edição revisada de texto dos anos 1940 para o segundo. Há tabelas para cada modo com as letras usadas e seus nomes. Exemplos são dados de várias linguagens, em tengwar com transcrições, para ilustrar diferentes pontos de uso e certas mudanças históricas que afetaram o sistema de escrita.

“Ortografia de Qenya” é a porção sobrevivente de uma Gramática de qenya contemporaneamente próxima da versão inicial d'O Alfabeto Feanoriano. Ele descreve a ortografia da língua escrita naquele texto e sua transcrição em alfabeto latino de acordo com o uso de Ælfwine. Baseado nisto, há seis versões de um texto chamado “Sobre a Ortografia de Ælfwine”, cuja mais tardia provavelmente data de cerca de 1950.

“Estrutura Verbal do Quendiano e Eldarin Comum”, provavelmente datando dos anos 1940, descreve o fundo etimológico à estrutura gramatical do verbo do quenya e suas conexões pré-históricas com os sistemas verbais de outras línguas élficas. Intimamente associado com esse texto está o “Sistema Verbal do Quenya”, parte de uma gramática do quenya contemporânea. Ele descreve a formação de várias raízes de tempos verbais e particípios de verbos do quenya e suas inflexões para número e voz, com algumas notas sobre sintaxe, e uma seção sobre “Verbos Irregulares”.

“Eldarin Comum: Estrutura Verbal” é uma revisão e elaboração do material de quendiano e eldarin comum, datados de aproximadamente 1950. É um texto que acompanha “Eldarin Comum: Estrutura de Substantivos”, publicado no Parma Eldalamberon 21, ambos sendo partes de uma gramática comparativa projetada das línguas eldarin.

“Notas Tardias Sobre a Estrutura Verbal” é um conjunto de textos, datados de 1969, lidando com conceitos revisados por Tolkien de inflexão verbal para tempo, substantivos e adjetivos verbais, expressões condicionais e o verbo negativo.

Nós esperamos que o Parma Eldalamberon 22 esteja disponível para envio em 1º de junho de 2015.

O custo é US$ 40,00 por cópia, incluindo postagem.

Para comprar agora, use este link do PayPal:

https://www.paypal.com/cgi-bin/webscr?cmd=_s-xclick&hosted_button_id=ETB6FBA62MZMG

Ou mande um cheque ou ordem de pagamento (moeda dos EUA apenas) para:

Christopher Gilson
1240 Dale Avenue, No. 40
Mountain View, CA 94040
United States of America

Como o Parma Eldalamberon só sai em inglês, não faz muito sentido eu traduzir o release do Christopher Gilson, então apenas o reproduzirei na íntegra:

PARMA ELDALAMBERON 21

Qenya Noun Structure:
Declension of Nouns
Primitive Quendian: Final Consonants
Common Eldarin: Noun Structure

By J. R. R. TOLKIEN

Edited by Christopher Gilson, Patrick H. Wynne and Arden R. Smith

Continue lendo Parma Eldalamberon 21

Parma Eldalamberon 20 anunciado

O editor do Parma Eldalamberon, Christopher Gilson, anunciou a edição 20 do jornal através da lista Elfscript2. Esta edição trás The Qenya Alphabet, uma coleção de tabelas e notas de mais ou menos 1931, que lida com os primeiros esboços do alfabeto que se tornaria as Tengwar, em O Senhor dos Anéis. São 40 documentos, segundo Gilson; editados por Arden Smith, com auxílio de Christopher Tolkien.

A edição terá 120 páginas e custará US$ 35,00, com frete incluso. O jornal pode ser adquirido no site oficial do Parma Eldalamberon. A data oficial de publicação é 3 de agosto de 2012.

Para quem é novato, uma breve introdução sobre essa publicação:

O Parma Eldalamberon é uma das duas únicas publicações produzidas por fãs que têm acesso direto aos manuscritos linguísticos de J.R.R. Tolkien, o criador das línguas élficas d'O Senhor dos Anéis. O Parma (ou PE) se dedica a publicar o material mais longo, publicando-o de maneira cronológica. Tolkien desenvolveu as línguas élficas de 1911 até 1973. Esta publicação lida com informações de 1931, quando O Hobbit nem havia sido publicado.

A outra publicação é o Vinyar Tengwar, que é editado por Carl Hostetter. O "VT" contém textos curtos, porém interessantes, e não segue ordem cronológica. Geralmente, ele se torna o favorito de pessoas que estão interessadas em compor em élfico, porque as informações dessa publicação costumam ser mais relevantes ao cenário pós-SdA. É possível adquirir as edições 41 a 49 na loja deles na Lulu.com.

O Parma e o VT geralmente só vão lhes ajudar nos estudos das línguas élficas depois que vocês aprenderem uma das línguas, o Quenya ou o Sindarin.  Contudo, como a tiragem é pequena, eu sugiro que comprem, se sentirem que tem interesse de médio a longo prazo nos estudos.  Se descobrirem que não têm esse interesse de longo prazo, é possível revender o volume com relativa facilidade, devido à raridade de encontrar um exemplar no Brasil.

Fonologias históricas do Ilkorin, Telerin e Noldorin em torno de 1923

O estudioso alemão Roman Rausch enviou esta mensagem à lista Elfling ontem:

Eu gostaria de apresentar a todos um novo artigo chamado "Fonologias históricas do Ilkorin, Telerin e Noldorin em torno de 1923". Embora trabalhos mais tardios do próprio Tolkien sobre este assunto parecem existir, esta é um sumário e análise especificamente das fontes de 1923 (publicadas em PE13 e PE14).

O Ilkorin e o Telerin aparecem aqui pela primeira vez e enquanto o Telerin é bem similar ao seu design mais tardio, o Ilkorin mais antigo é perceptivelmente germânico em estilo, e totalmente diferente do Ilkorin nas Etimologias. O Noldorin mais antigo difere do Noldorin tardio especialmente nas mutações de vogais, que seguem o galês mais de perto.

Eu deixei o Qenya mais antigo de fora porque já há discussões sobre a fonologia dele no Qenya Lexicon e no Early Qenya Grammar; e também porque eu sinto que é muito similar aos seus conceitos mais tardios, quando comparado com as outras línguas.

Comentários e correções são, como sempre, bem-vindas.

Link: http://sindanoorie.atspace.com/1923_phon.htm

Resumo de “Tolkienian Linguistics: The First Fifty Years”

Novamente o trio Douglas A. Anderson, Michael D. C. Drout e Verlyn Flieger trazem o excelente Tolkien Studies, um compêndio de com diversos ensaios acadêmicos sobre a vida e obra de Tolkien. Em seu volume 4, lançado recentemente, temos um artigo que deve interessar a todos nós: Tolkienian Linguistics: The First Fifty Years, escrito por Carl F. Hostetter, contando a história da lingüística tolkieniana de 1954 até 2007. Continue lendo Resumo de “Tolkienian Linguistics: The First Fifty Years”