Arquivos da categoria: Quenya

O Novo Testamento em Quenya

Essa é uma notícia velha, mas que eu não dei muito destaque. Mea culpa.

De qualquer forma, o Helge Fauskanger, da Ardalambion, criou uma página dentro do site dele. Nessa página, ele vem lançando traduções do Novo Testamento para o Quenya.

O uso de textos bíblicos como base para traduções é comum, por motivos óbvios. Eu, particularmente, não sou cristão, mas acho extremamente importante a existência de um corpus de textos em prosa para que um estudante possa pegar o ritmo da língua. Mesmo que seja o Quenya do Helge, e não o Quenya do Tolkien.

Listas de palavras Quenya-Inglês atualizadas na Ardalambion

O título diz tudo. Abaixo segue a tradução do e-mail de 3 de maio de 2012 do Helge para a lista Elfling:

Eu fiz o upload da versão atualizada das listas de palavras Quenya-Inglês:

http://folk.uib.no/hnohf/quen-eng.doc

Eu adicionei um número de palavras do Qenya Lexicon que eu usei nas minhas traduções da Bíblia, e finalmente fiz um número de correções baseadas nas notas que a Valeria Barouch me enviou a um tempo atrás.

Uma palavra que está faltando é hep- *”manter”. Foi recentemente mencionada aqui [na Elfling] também. É atestada, mais ou menos, no Qenya Lexicon, mas no material antigo significava “prender”. O significado tardio (provável) “manter” é deduzido do Sindarin heb- e a raiz KHEP usada em material tardio com esse sentido, mas há ao menos alguma sobreposição semântica potencial entre “manter” e “prender”.

A alguns meses atrás eu também consegui algumas correções do Francesco Veneziano sobre meu curso de Quenya, que eu me sinto mal de não as ter implementado ainda, mas estejam certos que eu aprecio elas e corrigirei os problemas… eventualmente.

A lista de palavras Inglês-Quenya também precisa de muita revisão para refletir a quantidade de material no Parma 17 em particular, mas ao menos as palavras já estão na lista Quenya-Inglês (link acima). A terminologia linguística dos Parmar 18 e 19 ainda estão faltando em ambas as listas.

Genitivo de -öa

Um curioso furo no nosso conhecimento de Quenya: como formamos o genitivo de palavras que terminam em -öa? Foi a pergunta do usuário “filmnoirkitty” da lista Elfling, no dia 17 de julho:

Se você quer dizer “os andares das casas” eu posso imaginar que seria algo como i talami coaron ou algo similar, mas como seria “o andar da casa”?

Você usaria outra palavra para “casa”? Reescreveria a sentença para evitar o problema? Existe um genitivo válido para coa? Retirar o -a e dobrar o -o não parece válido ()…

A discussão é interessante de acompanhar, mas os resultados mais prováveis foram apresentados por David Salo desta forma: coa < kawa geraria provavelmente cuo. A ideia de Roman Rausch de utilizar cavo não funcionaria, pois -wo em kawo é similar a owo > uo. Uma situação parecida ocorre em tie < teʒe, onde -ee > ie.

Quais palavras se encaixariam nesse padrão? Segundo Salo “coa ‘casa’, foa ‘fôlego’, hoa ‘grande, largo’, hroa ‘corpo’, loa ‘ano’, loar ‘florescer dourado’, noa ‘ideia’ (possivelmente obsoleto), oa(r) ‘longe’, soa ‘sujeira’, toa ‘madeira (material)’. Também ëo “pessoa” < *ewô.” Note que toa é o que Salo considera uma forma normalizada de tavar das Etimologias se seguisse o padrão de evolução fonética apresentado pelas palavras pós-SdA.

Eu sugiro a leitura das duas mensagens de Salo, as 35827 e 35831 para mais detalhes.

“Respeitar” em Quenya

Um post de Grant Hicks na Elfling com uma boa sugestão para celebrar o aniversário do Professor.

Eu acho que a Tuilinde fez uma boa observação. O significado que nós damos à palavra “respeito” em inglês não necessariamente segue as raízes (literalmente “olhar para trás para”) mas depende dos desenvolvimentos semânticos pós-clássicos nas línguas românicas. Não há uma razão particular para esperar que o mesmo desenvolvimento aconteceria na história do Quenya, e portanto nenhuma razão para o leitor do neo-Quenya interpretar uma palavra nada familiar que significa etimologicamente “olhar para trás” com o sentido de “ter em alta estima”.

Pode ser mais seguro, do ponto de vista da compreensão, tentar construir uma palavra ou frase de elementos significando “considerar de alto valor”, embora devido às falhas no léxico do Quenya eu percebi que é mais difícil do que parece. Eu brinquei com algo do estilo de arnot- (v.), arnótië (n.) dos elementos #ar-, “alto (i.e., nobre, reverenciado)”, e not-, “contar, reconhecer” (definições do léxico de Helge Fauskanger), mas não tenho certeza de como isso parece para um Quenyanista com experiência. Até onde eu saiba pode soar tão opaco quanto uma palavra significando “olhar para trás”.

Isso faz algum sentido?