Arquivos da categoria: Tengwar

Escrevendo Tengwar com canetas-tinteiro e penas de caligrafia

Papel

Independente da ferramenta de escrita, você deve utilizar papel que não absorva a tinta. A tinta deve secar sobre o papel.

O papel também precisa ser grosso suficiente para suportar toda essa tinta. Hoje, eu utilizo o papel Bristol da Canson, que possui gramatura 180 g/m².

Tintas

As tintas usadas para penas são muito diferentes das usadas para canetas-tinteiro.

Tintas de caneta-tinteiro são bem diluídas. Isso faz com que a tinta flua com mais velocidade para o papel e evita que a caneta fique entupida. Usá-la em uma pena de caligrafia não é ideal, pois a tinta escorre da pena, causando uma escrita falhada.

Tintas de pena de caligrafia (como a nanquim) são mais viscosas. Isso faz com que elas não escorram da caneta tão rápido, permitindo que você escreva mais sem ter de mergulhar a pena na tinta novamente. Além disso, quando se flexiona a pena para criar uma variação na largura da linha, essas tintas costumam manter-se grudadas nas duas pontas da pena, ao contrário da tinta de caneta-tinteiro.

Por ser viscosa, nunca use uma tinta de pena de caligrafia em uma caneta-tinteiro! Isso vai entupir a caneta, com chances de estragá-la para sempre.

O que as duas têm em comum?

As penas.

O objeto metálico que está no fim tanto da pena de caligrafia quanto da caneta-tinteiro se chama “pena”.

A pena é a parte de ambas as ferramentas que dá forma à letra. A beleza desse tipo de escrita geralmente está na capacidade de criar variações nas linhas dentro de uma mesma letra. Você pode perceber que tentar escrever Tengwar com uma caneta esferográfica não causa resultados esteticamente bonitos, porque a linha é sempre da mesma largura.

Variação de linha

A variação de linha pode ser obtida de duas formas: usando uma pena itálica ou uma pena flexível.

Comparação de canetas tinteiro com penas itálicas e redondas.
Comparação entre penas de canetas Pilot: à esquerda, uma pena itálica, capaz de variar a linha,; à direita, uma pena tradicional, com uma ponta arredondada e incapaz de realizar variação de linha.
Fonte: JetPens

A pena itálica é uma pena cuja parte que entra em contato com o papel possui um ângulo reto. Na minha experiência com canetas-tinteiro, as melhores penas para escrever em Tengwar são aquelas cuja área de contato possui 1,5mm de comprimento, que é um tipo bem comum de itálico.1

A pena flexível permite que as duas pontas da pena se separem, até certo ponto, sem que entortem para sempre. No ato de se separar, a tinta cria uma ponte entre ambas as pontas, criando então a variação de linha. Geralmente, as penas flexíveis possuem pontas finas, para deixar mais evidente a variação da linha.

Imagem de pena flexível de caneta tinteiro
Pena flexível, feita em ouro 14k, de uma caneta-tinteiro Waterman Ideal #2 dos anos 1920. Fonte: VintagePen.net

É muito importante que você entenda que nem toda pena é flexível só porque é fina! O que torna uma pena flexível é a remoção do material metálico nas laterais da caneta, por volta do local onde o corte das pontas termina.

Também entenda que não é o metal que a pena é feita que torna ela flexível: a maior parte das canetas-tinteiro com pena de ouro no mercado não são flexíveis, apenas permitem uma escrita mais suave.

É também muito mais fácil encontrar uma pena flexível para uma pena de caligrafia do que em uma caneta-tinteiro, por dois motivos: a tinta é mais viscosa e a pena de caligrafia não depende de manter contato com um mecanismo de alimentação.

Qual é a diferença entre as duas?

Uma pena de caligrafia consegue segurar apenas a tinta que estiver grudada nela. Contudo, por ser muito mais simples, uma pena pode ser utilizada em diversos ângulos que auxiliam na criação caligráfica. Também é possível utilizar tintas muito mais permanentes com a pena de caligrafia — essas tintas iriam arruinar a vida útil de uma caneta-tinteiro.

Uma caneta-tinteiro possui um mecanismo alimentador que regula o fluxo de tinta que chega até a sua própria pena. Dependendo da caneta, ela pode carregar o seu próprio reservatório de tinta interno, através de cartuchos, conversores, mecanismos de pistão, entre outros meios. Por isso, até a criação da esferográfica, a caneta-tinteiro era muito mais prática do que a pena de caligrafia.

Qual é a melhor ferramenta para Tengwar?

Caso você esteja querendo um resultado esteticamente agradável, a pena de caligrafia é provavelmente a melhor opção.

Caso você esteja querendo escrever quantidades extensas de texto, como um diário em Tengwar, a caneta-tinteiro é provavelmente a melhor opção.

Exemplos de escrita com penas de caligrafia

Caso você queira escrever com ângulos retos, você pode utilizar um cabo reto. No exemplo abaixo, o escriba coreano Jae Shin escreve com uma pena de cabo reto e pena itálica:

Caso você planeje escrever com inclinação, você deve usar um cabo oblíquo. Novamente, o seguinte vídeo do Jae Shin demonstra o uso do cabo oblíquo e pena flexível:


  1. Em inglês, o termo utilizado para esse tipo de pena em penas de caligrafia é italic. Contudo, no mundo das canetas-tinteiro, o que chamamos de “itálico” é na chamado de stub, enquanto italic é uma variação de stub

Glǽmscribe

Para novatos: o site que eu vou citar abaixo não traduz seu nome pra élfico e não escreve português com letras élficas, ok? Não o utilize para fazer tatuagens também se você não souber nada de élfico, é arriscado e você pode se arrepender fortemente.

Uma boa notícia para quem gosta de transcrever seus textos de forma automatizada: os franceses Benjamin Babut e Bertrand Bellet do website Glǽmscrafu criaram o Glǽmscribe, um transcritor não só para Tengwar, mas também para Sarati e Cirth!

As línguas que podem ser transcritas nesse website são:

  • Adûnaico: em Tengwar;
  • Fala Negra: em Tengwar, tanto no modo geral quanto do estilo do Um Anel;
  • Gótico: no alfabeto gótico;
  • Khuzdûl: no modo Angerthas Moria;
  • Inglês Antigo: em Tengwar, no modo da Mércia ou de Wessex;
  • Nórdico Antigo: com runas no modo Futhark Codex Runicus;
  • Quenya: em Tengwar e Sarati;
  • Sindarin: em Tengwar no Modo de Beleriand ou Clássico, em Cirth no modo Angerthas Daeron;
  • Telerin: em Tengwar;
  • Valarin: em Sarati;
  • Westron: em Tengwar.

Cada modo tem um teclado de apoio (caso você precise digitar letras como þ ou æ sem precisar decorar os comandos necessários, além de algumas informações específicas a cada língua. No adûnaico, você pode “reverter a ordem dos dígitos de números”, escrever números em base 12 ao invés de base 10, inverter ordem dos tehtar de “o” e “u”.

As fontes já vem embutidas no website para que você possa ver o resultado esperado e até mesmo compartilhar a transcrição. Mas caso você queira copiar para utilizar no seu Photoshop, por exemplo, terá de instalar meu compêndio de fontes élficas ou buscar as outras fontes (como a fonte Analecta, para a língua gótica).

Como começar a usar as letras élficas

As letras élficas não são difíceis de aprender: em um dia já dá para começar a escrever tudo que você quiser.

Língua

Memorização

Comece escrevendo à mão. Sim, será horrível. Sim, você terá vergonha de mostrar para as pessoas. Não parecerá nada com o que Tolkien fez. Mas você não precisa de qualidade de traço, você precisa aprender as tengwar. Memorizá-las.

Se você for muito esforçado e tiver o equipamento correto1, já poderia criar coisas como esta:

Uma foto publicada por Jae Shin (@jmshinhira) em

Usando as fontes élficas

Assim que você pegar o jeito à mão, pode começar a usar as fontes élficas.

Como? Caso tenha instalado meu pacote de fontes élficas, vá na pasta C:\Program Files (x86)\Fontes Elficas\Tengwar Annatar e abra o arquivo tngandoc.pdf. Das páginas 6 a 10, há um excelente mapa de caracteres que você pode usar de referência. Ele te diz a tecla que você precisa pressionar para sair cada caractere. Quando eu comecei, mantinha impresso do meu lado até que me acostumei com o layout. Depois de um tempo, você sabe que j#w$ significa lambë “língua”2 e aDjt# é calma “luz”3.

instruções-mapa-caracteres-élfico

Deixe que a máquina faça o trabalho sujo

Se você quer uma frase escrita em Quenya, Sindarin ou Inglês, há uma opção ainda mais fácil do que escrever tudo à mão: o Online Tengwar Transcriber. Basta escrever a frase que você quer, escolher a língua e clicar “Transcribe”. O resultado que sai em “output” deve estar correto, se você fez tudo como eu disse.

Não existe nada similar pronto para português neste momento, motivo pelo qual eu me recuso a fazer transcrições para as pessoas. É simplesmente trabalho demais para alguém que já está em dois empregos.

ott-com-frase-em-quenya


  1. Se você gostar de escrever a mão, compre um kit de caligrafia ou uma pena e tinta. Dei uma pesquisada e até a data que escrevi este texto, o valor de um kit grande estava em torno de 100 reais. Melhores ferramentas lhe dará melhores resultados, mas apenas se souber usar. Por isso, minha outra dica é fazer cursos de desenho caligráfico, já que “curso de caligrafia” costuma ser anunciado para ajudar pessoas que têm dificuldade de escrever. 
  2. j#w$ 
  3. aDjt# 

Pratiquem seu Tengwar, crianças!

Recebi um pedido para transcrever para Tengwar o poema “Nem tudo que é ouro fulgura”, feito pelo Bilbo para o Aragorn n’O Senhor dos Anéis. Eu fiz a mão. Por quê?

Deixe-me dizer de forma clara e concisa: Eu prefiro furar meus olhos com agulhas de crochê a escrever com as fontes élficas em qualquer língua. Quenya, Sindarin, Fala Negra, inglês, português… Qualquer uma. Se eu não posso fazer a transcrição com o Online Tengwar Transcriber, eu desanimo. É muita mão de obra.

Para que eu me dê ao trabalho de transcrever no Photoshop alguma coisa no Modo Tengwar Português, a tua história tem de ser triste. Muito triste. Daquelas que eu não poderia ignorar, porque seria igual a chutar um filhote de gatinho longe. Tá, se tu for a Cammy ou a Mulher Maravilha eu também faço — não sou de ferro. Mas, sério, alguma conjunção astrológica precisa acontecer para que eu faça isso daqui pra frente.

Um lugar de santos gente que tem mais paciência do que eu é o fórum Tengwar & Outros Alfabetos Tolkienianos, na Valinor. Lá tem gente que tem desenvoltura suficiente para auxiliar qualquer um que queira uma transcrição pronta em português, para copiar e colar e levar ao tatuador. Se pedir para mim, será a mão, para satisfazer a sua curiosidade. Inglês, Quenya e Sindarin eu faço tranquilamente, mas português? Esquece.

Para quem quer ver meus garranchos élficos:

Nem tudo que é ouro fulgura
Nem todo estudante de Quenya é vadio

Como as fontes élficas funcionam

Aqui segue uma pequena descrição de como as fontes Tengwar funcionam. Caso fique alguma dúvida neste post, por favor envie um comentário.

Nota importante: Você precisa de, ao menos, Internet Explorer 8, Mozilla Firefox 3.6+ ou Google Chrome 6+ para visualizar as fontes Tengwar neste artigo.

Entendendo um pouco de Tengwar

Um tratamento mais profundo do Tengwar é feito pelo excelente site Amanye Tenceli, criado por Måns Björkman e traduzido pelo Luciano Magalhães. Aqui eu serei breve e, espero, vocês vão compreender um pouco mais sobre o assunto:

  1. O Tengwar é um alfabeto, não uma língua: de fato, o Tengwar pode ser usado para escrever em várias línguas. Tolkien utilizou em O Senhor dos Anéis esse alfabeto para escrever em inglês, fala negra de Mordor e Sindarin. Em outros locais ele utiliza o Tengwar para escrever em Quenya e anglo-saxão. O que nos leva ao segundo ponto.
  2. O Tengwar segue uma lógica de linguista: Tolkien era um linguista por profissão, e o Tengwar segue uma lógica de linguista. Enquanto a letra 1 representa um “T”, a letra 2 representa um “D”. Para um linguista essa progressão é lógica, pois um “D” nada mais é que um “T” pronunciado com o uso das cordas vocais: ambos os sons são “oclusivas dentais”, mas o “T” é surdo (não usa as cordas vocais) e o “D” é sonoro (usa as cordas vocais). Em Tengwar, fonemas surdos usam apenas uma curva (lúva) enquanto fonemas sonoros usam duas curvas (lúvar).
  3. O Tengwar é adaptável: Sendo criado por um linguista, o Tengwar é adaptável a qualquer língua, inclusive o português. Por exemplo, quando escrevemos em inglês ou Sindarin, o fonema que o tengwa 3 representa é o do som de “TH” na palavra thing; contudo, quando escrevemos em Quenya, o mesmo tengwa indica “NT”, que é um encontro consonantal comum naquela língua, pois o “TH” não existe em Quenya. Já em português, esse mesmo símbolo foi adaptado pelos criadores do Modo Tengwar Português para indicar o fonema do “T” da palavra “tia”, ou o “TCH” da palavra “tchê”.

Entendendo as fontes Tengwar

Por causa do terceiro item acima, é impossível para um tipógrafo adivinhar como cada um dos diversos modos de escrita para Tengwar utilizam os caracteres. Além disso, tendo em vista que as tengwar possuem largura variável, é impossível alinhar as vogais automaticamente — as vogais são escritas como se fossem “acentos” — com a tecnologia que nós temos hoje.

Foi então que o tipógrafo Dan Smith criou um método universal de inserção de caracteres Tengwar. Ele tirou sua inspiração do próprio Tolkien e da sua tabela de Tengwar nos apêndices d’O Senhor dos Anéis:

Tabela de Tengwar

Se nós virarmos essa tabela com o topo para a esquerda e então girarmos o que está embaixo para cima, ficaremos com o seguinte layout no nosso teclado:

Tabela 1: Consoantes do Tengwar
1 2 3 4 5 6 7 8 9
1 2 3 4 5 6 7 8 9
q w e r t y u i o
q w e r t y u i o
a s d f g h j k l
a s d f g h j k l
z x c v b n m , .
z x c v b n m , .

Essas são as consoantes. E as vogais? As vogais são um caso diferente. Via de regra, quanto mais para baixo no teclado, mais para a direita ela se alinha, e você deve utilizar uma das quatro versões para alinhar melhor ao tengwa que você está usando. Segue aqui a lista dos que são usados em português usando o tengwa Númen como base. Veja como só a primeira série se alinha corretamente:

Tabela 2: Vogais do Tengwar
# $ % ^ & Ô Ø
5# 5$ 5% 5^ 5&
E R T Y U Õ Ù
5E 5R 5T 5Y 5U
D F G H J Ö Ú
5D 5F 5G 5H 5J
C V B N M × Û
5C 5V 5B 5N 5M

Material de Referência

Cada uma das fontes vem com material de referência, mas talvez o mais simples de imprimir e utilizar seja o da fonte Tengwar Annatar. Se você baixou meu compêndio de fontes, deve estar em C:Arquivos de ProgramasFontes ElficasTengwar Annatartangandoc.pdf. Vamos dar uma olhada:

Tinco

A informação aqui apresentada da esquerda para a direita é a seguinte:

  1. O caractere alfanumérico correspondente ao caractere Tengwar. Neste caso, o numeral 1 é equivalente ao tengwa 1 (tinco).
  2. O número 49 indica o “código Alt” a ser digitado: se você usar a combinação do teclado Alt+0049 (segure a tecla Alt e digite 0049 no teclado numérico, aquele que só funciona com NumLock ligado), você conseguirá o caractere “1”.
  3. O tengwa que estamos tentando escrever em estilo “livresco”.
  4. O mesmo tengwa em estilo itálico, como no Um Anel.

Atualização no artigo sobre pontuação em Tengwar

O autor do site Amanye Tenceli, Måns Björkman, notificou os leitores da Elfscript 2 que houve uma atualização no artigo sobre pontuação em Tengwar. As modificações foram sugeridas por B.P. Jonsson e “Mach” Wust.

Para ver o artigo revisado, clique aqui. Para ver a discussão que gerou a revisão, veja a mensagem 111 da lista Elfscript 2 (no fim da página há o link para todas as mensagens derivadas da original. Para seguir a Elfscript 2, clique aqui.

Nova Fonte: Tengwar Beleriand

Mais uma nova fonte: Tengwar Beleriand, criada por “Enrombel”, um usuário da Elfling que, pelo que podemos perceber através de seu site, é argentino.

Para baixar, clique aqui.

O que eu pude perceber de diferença no traço é que as hastes engrossam na parte inferior da tengwa, a silme, silme nuquerna, esse e esse nuquerna são muito mais abertas. De resto a fonte é muito similar à Tengwar Annatar, que é a padrão.

Caso você queira dar uma olhada na nova fonte, clique aqui para baixar um arquivo PDF com o poema Namárië (o “Lorem Ipsum” élfico).

O que você sempre quis saber sobre Tengwar

 

Introdução

Quase todo dia eu recebo e-mails ou mensagens pedindo para passar nomes ou frases para “élfico”. Na maior parte das vezes, isso significa passar para o sistema de escrita Tengwar. Outras vezes eu recebo mensagens pedindo para que eu passe a frase “tal” para Tengwar Sindarin, como se essa fosse uma língua ou um sistema de escrita em si. Ambos esses pedidos deixam transparecer que o leitor ocasional não compreende o que eles estão pedindo. Tentarei tirar algumas dúvidas aqui.

O que é “Tengwar”?

Tengwar é isto:

Um exemplo de Tengwar.
Um exemplo de Tengwar.

O que é “élfico”?

Aiya Eärendil elenion ancalima!

Como eles se relacionam?

A frase que está escrita em Tengwar é a mesma que está escrita nos caracteres latinos. O que nos leva à conclusão de que…

TENGWAR É UM ALFABETO, NÃO UMA LÍNGUA!

Como eu aprendo a escrever com o alfabeto Tengwar?

Há dois passos para se seguir no aprendizado:

Aprender o “Modo”

Isso significa aprender a convenção feita por Tolkien ou por fãs entre cada um dos caracteres disponíveis no alfabeto Tengwar e os sons de uma determinada língua. (No nome de cada Modo abaixo há um link para o local onde você pode aprendê-lo.)

A língua Quenya utiliza o Modo Clássico. A língua Sindarin utiliza o Modo de Uso Geral ou o Modo de Beleriand. A Fala Negra de Mordor e a própria língua inglesa também utilizam o Modo de Uso Geral.

O português nunca teve um modo inventado por Tolkien. Os fãs brasileiros da Valinor, contudo, inventaram um Modo Português que está em desenvolvimento neste link.

Aprender a usar as fontes

As fontes do Tengwar não possuem uma correspondência de 1:1 entre o alfabeto latino e o Tengwar. Se você realmente fez o que eu disse e aprendeu os modos antes de tentar usar as fontes, o motivo para isso deve ficar bem óbvio.

Caso você seja apressadinho e pulou o passo anterior (que vergonha, hein?), o motivo para o qual as fontes Tengwar não possuem uma correspondência de 1:1 para o alfabeto latino é que um só símbolo Tengwar pode representar o som de até TRÊS LETRAS latinas em alguns Modos.

Como eu sei descubro qual tecla mostra qual caractere com as fontes Tengwar?

Se você baixou meu Compêndio de Fontes Élficas, deve ter percebido que ele veio com a documentação de cada fonte. Na pasta “tngan120” você encontra o arquivo “tngandoc.pdf“, que a partir da página 7 traz um mapa de caracteres excelente para imprimir e usar como guia. Ele serve para todas as fontes, e as variações de uma para outra são mínimas.

A fonte Tengwar Quenya é mais adequada para escrever na língua Quenya?

Não. Isso é um dos erros mais comuns para os novatos. A fonte Tengwar Quenya (assim como a sua irmã Tengwar Sindarin e a língua Sindarin) não foi feita especificamente para escrever em Quenya. O criador delas, Dan Smith, simplesmente escolheu esse nome para representar um estilo de caligrafia élfico nos qual ele se baseou para criar sua fonte.

Qual a diferença de uma fonte para outra, então?

Só a aparência. Abaixo segue o nome da personagem Galadriel no Modo de Beleriand nas fontes Tengwar Eldamar, Tengwar Cursive e Tengwar Annatar (normal, e depois itálico). De repente você consegue perceber a diferença:

Galadriel em Tengwar, Modo de Beleriand
Galadriel em Tengwar, Modo de Beleriand

Conclusão

Eu creio que vocês terão muito mais dúvidas do que as que eu esclareci acima. Portanto, sintam-se livres para fazer essas perguntas nos comentários!