Arquivo da tag: tradução

Tradução e Transcrição

Dois conceitos que são importantes separar: tradução e transcrição.

Tradução

Tem a ver com línguas. Não com alfabetos.

Você pega uma palavra em uma língua e encontra a palavra mais adequada em outra língua para traduzí-la.

Exemplo: dog é traduzido para "cachorro" em inglês quando se refere ao animal, mas pode ser traduzido para "cara, mano, parceiro", se falado como gíria.

Transcrição

Tem a ver com alfabetos. Não com línguas.

Entre palavras da mesma língua, você transcreve de um alfabeto para outro. O significado não muda. O que muda é a maneira que a palavra é escrita.

Exemplo: o kanji 道場, o hiragana どうじょう e o romaji dōjō são três maneiras diferentes de escrever a mesma palavra.

O significado não muda. A língua não muda. O que muda é a forma que escrevemos.

Quatro anos e algumas respostas aos leitores

Creio que foi a primeira vez que deixei o aniversário do site passar em branco, mas dezembro e a primeira semana de janeiro pareceram um ano inteiro de trabalho árduo. Foi no dia 26 de dezembro de 2006 que eu criei este site, que me deu até hoje muito trabalho e muita satisfação. Estamos, portanto, no quarto ano do Tolkien e o Élfico.

Entre uma coisa e outra tive algum tempo para responder alguns e-mails e comentários. Abaixo seguem alguns, em nenhuma ordem em particular:

olá ! tenter de todas as maneiras e não consegui  uma tradução de uma frase em portugues para o elfíco , é que eu vou fazer uma tatuagem ... será que vcs podem me ajudar ? desde já .muito obrigado... " Quem é abençoado ningém amaldiçoa ..."  e também , César Prattes , e Hervé Ramos.

I aistana umë húta. "Aquele que é abençoado não amaldiçoa."

César "cabeludo" talvez seja melhor traduzido como Q. Findecáno, S. Fingon "cabelo-comandante".

Hervé significa "digno de batalha". Em Quenya sairia como Ohtaférimo, creio eu. Não tenho uma tradução pronta em Sindarin.

existe o nome Laila em Elfico??

Seu nome significa "noite" em árabe. Em Sindarin Daw (w = u), em Quenya Lómë.

SOU ENCANTADA COM ESSE MUNDO E ESSES SERES ELFICOS ME TRAZEM MUITA PAZ QUERIA ME APROFUNDAR MAIS E ESTUDAR A LINGUA, SÓ QUERIA SABER QUANDO E COMO OS ELFOS EXISTIRAM E POR QUE FORAM EXTINTOS? OBRIGADA!! MELISSA

Em 2006 e 2007 foi feito um estudo pela Universidade da Islândia dizendo que 8% da população islandesa acredita que elfos definitivamente existem, 17% disseram que há altas probabilidades de que existem, e 37% que possivelmente existem. Na Inglaterra pré invasão normanda, diz Tom Shippey (Tolkien Studies Vol. 1, pp. 2–3):

"Existe uma dezena de palavras para "elfo" em inglês antigo, as formas masculinas e femininas sendo ælf e ælfen, e o composto de palavras land-, dún-, feld-, munt-, sæ-, wæter-, wudu- e, possivelmente, berg-ælfen ou, mais raramente, -ælf, ou seja, em sequência os elfos "da colina, da terra, do campo, da montanha, do mar, da água, da floresta" e, mais uma vez, "da montanha". Esses parecem promissoramente precisos e variados, mas são de fato quase sempre glosas, palavras escritas sobre um texto em latim para traduzir uma palavra nessa língua, neste caso respectivamente nos itens quatro a nove na lista acima seriam castalides, moides, oreades, naiades, nymphae e dryades. A explicação mais simples é que um tradutor anglo-saxão a muito tempo atrás, com dificuldade para encontrar um equivalente para "náiade, ninfa, dríade", decidiu de forma razoável solucionar todos os seus problemas de uma vez e criar "elfa-do-mar, elfa-da água, elfa-da-floresta", etc. Enquanto isso, textos médicos ou mágicos anglo-saxões nos lançam uma quantidade de compostos mais interessantes, se mais ameaçadores, como ælfadl, wæterælfadl, ælfsiden, ælfsogoða, o nome de "doenças élficas" como (foi sugerido) varicela, edema, demência, epilepsia e anemia. O último é uma suposição a partir de ælfsogoða, "elfo-sugar", e indica que uma forma que se acreditava que os elfos causassem problemas era através do vampirismo, enquanto nós também encontramos várias vezes "tiro-élfico", ou ylfa gescot [sc = "x" de xícara], que indica uma crença (talvez ilustrada em um desses textos) em dardos invisíveis portadores de doenças. Os elfos também parecem ter se associado com a tentação sexual. Vários encantos associam os elfos com nihtgengan, "prostitutas", com "tentações do demônio" e com þat mannum þe deofol mid hæmð "o povo com o qual o demônio faz sexo". Não é surpreendente que os elfos anglo-saxões são normalmente chamados de "malignos" por estudiosos modernos. E ainda assim é um elogio para uma mulher ser chamada ælfsciene, "bela como uma elfa", e os anglo-saxões continuarem de maneira teimosa a dar nomes aos seus filhos como Ælf-wine, Ælf-red, Ælf-stan, e assim por diante, "Amigo-dos-elfos, Aconselhado-por-elfos, Pedra-élfica". Alguns desses nomes, como o comum Alfred e o raro Elwin (como em Elwin Ransom) mantiveram-se em uso até hoje, embora não mais com qualquer sentido do seu significado, e algumas das crenças sobre elfos sedutores, colinas élficas e fadas élficas também sobreviveram até o período moderno."

Onde estou e o que estou fazendo

Já faz um tempo que não posto nada aqui, então esta mensagem é só para informá-los do que ando fazendo:

  • Trabalho todo dia das 8hs às 12hs, das 14hs às 18hs;
  • Preciso terminar um trabalho da faculdade até o fim deste dia;
  • Estou verificando notícias sobre línguas tolkienianas todo dia no meu almoço. Não houve nenhuma movimentação recente nas listas;
  • Estou planejando, lentamente, um estande para o AnimeXtreme, nos dias 12 e 13 de abril no Colégio Salesiano Dom Bosco, em Porto Alegre;
  • No mesmo evento, farei uma palestra sobre as raças do mundo de Tolkien, que estou formulando/formatando;
  • Estou escrevendo o resumo dos apêndices do Curso de Quenya;
  • Estou formatando um artigo antigo que havia traduzido para o site da Ponei Saltitante, mas ainda não pedi autorização ao autor para publicar aqui;
  • Estou aguardando o pronunciamento da Manches Co. para saber se poderei publicar o Negation in Quenya do VT42;
  • Comecei a traduzir um artigo da Tengwestië que considero bem interessante (mas que preciso pedir permissão para o Carl Hostetter antes de publicar);
  • Comecei a digitar os nomes em Quenya e Sindarin para o um banco de dados para automatizar o processo de criação do layout, que é simplesmente a coisa mais chata da história.
  • Eu estava de aniversário dia 12, sabiam? 🙂

Se vocês estão cansados de esperar que eu escreva alguma coisa, podem visitar o meu blog sobre administração, tecnologia, educação, ou coisas aleatórias: Cortando a Película. Também estou todo dia no Twitter.

E em uma nota sobre coisas aleatórias: Eu recebi pedidos nos últimos tempos pelos comentários sobre paroxítonas terminadas em U (no português!) e da definição de o que são seres macroscópicos. Esses eu simplesmente tive de responder. 😀

Slicer Responde: Vol. 1

Não, não estou lançando uma publicação com esse nome (ainda; não me deu na telha). Mas os pedidos para tradução de nomes se acumularam de tal maneira que achei melhor responder tudo em um post. O primeiro é do "ezequiel":

eu queria saber o nome “stela” em elfo e “ezequiel ” tb c souber me pando plx

"[E]stela" vem do lat. stella "estrela". Em Q. Elen, em S. Êl. "Ezequiel" vem do heb. Yehezqel "Deus fortalece(u)", mas não temos um verbo "fortalecer". O mais próximo que consegui chegar foi "vigor de Deus", Q. Eruormo, S. Eruor.

Antes que me acusem de ter passado reto pelo pedido da Ivone, já o respondi no Fórum Valinor. Seguindo para o da Emanuela:

Slicer,

Como ficam os nomes Emanuela e Érico?
Obrigada!

"Emanuela" vem do heb. Immanu'el "Deus está conosco": Q. Eruaselvë, S. Erunavin. Já "Érico" é do nord.ant. Eirikr "comandante/senhor honrado". Como honra, glória e fama tem significados similares (sem contar que não temos um subst. honra e fama no vocabulário conhecido do Q. e S.), precisei utilizar Q. Alcarcáno e S. Aglargon, que incidentalmente é a mesma tradução de "Rodrigo", meu nome.

Walter é o próximo:

meu nome em elfico como ficaria e as magias como cojuralas em elfico, muito abrigado, esse site é muito loko

Seu nome vem do a.-al.ant. Walthari "comandante do exército". Precisei modificar isto um pouco para "comandante de guerra", o que dá em Q. Ohtacáno e em S. Othgon. Outra possibilidade é Q. Ohtaher, dando um sentido mais amplo, como um Generalissimo, Field Marshal, General of the Armies, etc.

Só para constar, embora não tenha confirmação, acho que "Waldir" é uma corruptela de Walter, e teria a mesma tradução.

Sobre o nome italiano “Sellaro”

Nota: O que está escrito abaixo é um exemplo de por que eu não traduzo sobrenomes para as línguas élficas. Descobrir o significado é algo complicado e não há muitas certezas. Se você quer saber mais sobre os italianos no Brasil, talvez o Portal Itália seja um bom lugar para começar.

Recebi uma pergunta nos comentários dos nomes em élfico do Giovanni Sellaro, que me questiona sobre a tradução de seu sobrenome. Minha resposta ficou meio longa, então achei melhor transformá-la em um post inteiro. Não mudei o tom de "resposta", porque, bem, é uma resposta! 🙂

Monte SellaroGiovanni, não costumo responder a perguntas de sobrenomes, pois é muito difícil obter informações sobre eles. De fato encontrei uma fonte que corrobora com a sua informação de que o nome do Monte Sellaro (à direita) tem a ver com o ato de selar os cavalos para atravessá-lo, o que dá mais força à sua teoria.Mas quer saber a parte irônica disso? Os elfos não selavam os seus cavalos! 😀 Não tenho dúvidas de que os elfos cunharam uma palavra para "sela" (eles precisariam para se comunicar com os humanos), mas o próprio Tolkien nunca inventou uma. O verbo “cavalgar” também é uma grande incógnita para nós.Procurando por fontes, encontrei que a palavra vem da raiz proto indo-européia *sed- "sentar", formando no caminho até o ing. saddle ("sela") a palavra proto-germânica *sathulaz, que não parece ser extremamente elaborada (não sou filólogo, então não garanto nada). Nas línguas élficas, aparentemente Tolkien se resolveu por utilizar KHAD como a raiz proto-Eldarin para "sentar", formando o verbo *har- no Juramento de Cirion.

Mas duvido que isso nos ajude. Ao que me parece, o substantivo saddle criou o verbo to saddle, o que não é possível nas línguas élficas, até onde eu lembre. O mais comum são substantivos verbais, ou seja, substantivos criados a partir de verbos, e não o contrário. Um exemplo em Quenya seria um possível subst. *harat "assento" a partir do v. *har-, mas acho impossível criar um v. ?harata- para um hipotético "assentar" (o exemplo é esdrúxulo, eu sei, mas serve).

Pode lhe reconfortar que nós sabemos como escrever "cavaleiro" em Quenya: roquen. Também é possível criar um verbo *colta- "vestir (alguém ou algo)", que se utilizado em uma frase como coltanen i rocco "eu vesti o cavalo", pode-se compreender, por extensão, "selei o cavalo". Talvez *Roccoltar "selador de cavalos" seja uma construção com algum futuro também.